Voltar

Notícias | Parceria Unicamp e Dynamed

Compartilhe:
Parceria Unicamp e Dynamed

Tecnologia da Unicamp possibilita a avaliação do funcionamento da bexiga com mínimo de desconforto para o paciente. 

Texto: Carolina Octaviano | Foto: Thomaz Marostegan. 

Dar mais conforto aos pacientes na avaliação urodinâmica, estudo do armazenamento, transporte e esvaziamento da bexiga, foi um dos propósitos das pesquisas realizadas pelos Pesquisadores da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) e do Centro de Engenharia Biomédica (CEB). Eles desenvolveram um dispositivo denominado conector uretral que, além de proporcionar maior comodidade aos pacientes, também diminui o risco de infecção e possibilita medir o aumento da pressão dentro da bexiga – pressão vesical – de maneira minimamente invasiva, ao contrário das opções disponíveis no mercado nacional, atualmente. Confeccionado em PVC e Teflon, não apresenta necessidade de sondas, já passou por testes em pacientes do Hospital das Clínicas (HC) da Unicamp e foi licenciado, em 2016, para a empresa Dynamed.

O conector demonstra potencial para auxiliar o diagnóstico médico e orientar o tratamento, com maior eficácia, sem o uso incômodo das convencionais sondas e, consequentemente, sem ocasionar dor aos pacientes durante as avaliações urodinâmicas. “É muito importante para avaliar o funcionamento da bexiga e se a próstata atrapalha a saída da urina”, avalia o docente Carlos Arturo Levi D´Ancona, da FCM, e um dos responsáveis pelos estudos.

“O método convencional é invasivo, caro, requer equipe especializada e não é imune a efeitos adversos como sangramento e infecção. A pressão vesical (ou pressão do interior da bexiga) é um parâmetro importante para a decisão clínica quanto a necessidade de cirurgia da próstata. A ideia foi procurar uma solução que fosse não invasiva ou minimamente invasiva para medir a pressão vesical”, defende o professor José Wilson Magalhães Bassani, do CEB, e que também atuou no desenvolvimento da tecnologia.

O professor D´Ancona conta que é comum que os pacientes se queixem sobre o desconforto causado pelos exames tradicionais e isso foi um fator de motivação para reunir esforços e expertises dos profissionais do CEB e do FCM no desenvolvimento conjunto da nova tecnologia. “A ideia era simplificar o exame urodinâmico. Então, fui consultar o Professor Bassani com esse problema. Após várias reuniões, surgiu a ideia do conector uretral. Depois, foi feito um protótipo que funcionou muito bem e começamos a fazer estudos para avaliar o potencial desse método”, lembra.

Manoel Pedro Soares, sócio da Dynamed, conta que a empresa auxiliou na construção do protótipo do dispositivo e que já estão sendo realizados testes pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) para disponibilizar a tecnologia no mercado. “O Registro do produto junto à Anvisa já está em andamento e pretendemos lançá-lo em conjunto, num dos congressos nacionais da área de urologia que acontecerão ainda em 2017”, revela. Ele conta que o interesse pelo licenciamento da tecnologia se deu por conta da possibilidade de substituir os métodos utilizados nos exames sobre o funcionamento da bexiga. “Os benefícios serão os de venda de novos produtos e também da inserção da inovação, em equipamentos já instalados pelo Brasil e toda América Latina, como uma forma de upgrade”, corrobora.

Os docentes avaliam que a Agência de Inovação Inova Unicamp teve um papel primordial na elaboração do contrato de licenciamento de tecnologia. Já na opinião de Soares, o papel da Inova foi importante para o acompanhamento de cada uma das etapas até a transferência tecnológica. Também participaram do desenvolvimento do dispositivo, o então aluno de mestrado, João Carlos Martins de Almeida, a Doutora Rosângela Higa, as pesquisadoras Iris Raquel de Paula Domene Martins e Stella Hilker e as alunas de Iniciação Científica Marianne Yu e Natalie Lecce.

“Ter uma empresa, como a Dynamed, trabalhando conjuntamente com a equipe de pesquisadores da Unicamp, certamente fortalece o desenvolvimento da patente, possibilitando inseri-la no mercado como um produto mais adequado do ponto de vista de custo, de alto valor tecnológico que poderá propiciar um conforto ao paciente. Fazer a interface entre a Unicamp e a empresa, na estratégia e modelo de transferência é um dos objetivos da Inova, exemplificado com sucesso neste caso”, comenta Iara Ferreira, diretora de parcerias da Inova Unicamp.

Mais sobre a Dynamed

Fundada em 1992, a empresa tem produzido equipamentos diagnósticos eletrônico-informatizados.  São produtos de alta tecnologia eletrônica e software embarcados para diagnóstico de disfunções no trato urinário inferior e também do sistema gastrointestinal.  Equipamentos para estudos como:  avaliação urodinâmica, pHmetria esofágica, manometrias anorretal e esofágica, testes respiratórios de hidrogênio expirado para intolerância à lactose e outros açúcares e outros equipamento para reabilitação pélvica. Conta, atualmente, com 20 funcionários em prédio e laboratório próprios, possui distribuidores e equipamento vendidos por toda a América Latina e tem seu faturamento na ordem de R$3,5 milhões anuais.

Patente: BR 10 2013 005005 9 / Código interno da tecnologia: 649_VESICAL

Fonte: www.inova.unicamp.br

Voltar

PRODUTOS

i-Uroli: Wi-fi
Dynapack
Dynapack Versão para Vídeo-Urodinâmica
CT3000
Dynapack 2 Slim
M.A.R.
Easy H2
ScopHe
Neurodyn Evolution
Perina Stim
Sistema S-Cath<sup>TM</sup>
Cateter de Duplo Lúmen
Cateteres para Manometria Anorretal
Cateteres para Manometria Esofágica
Separador de Vias de Canais
Tubos de Silicone para Mecanismos de Infusão
Extensões de PVC
Pasta Condutiva
Soluções Buffer
Substratos em Pó
Substratos Líquidos
Cadeira Automatizada Easy Chair
Cadeira Totalmente Inoxidável
Maxtrat
Pedestal

Youtube

Aceitamos todos os cartões de crédito:

Aceitamos todos os cartões de crédito
Pague com BNDES

Pague com: